26 de novembro de 2021

Filmes de Natal

Nesta época do ano, é quase impossível não nos depararmos com os filmes tradicionais de Natal. Volta e meia, passam na televisão e há sempre aqueles que repetem ano após ano. Grinch ou Sózinho em Casa são os clássicos que toda a gente já viu várias vezes a par de uma boa meia dúzia deles que são quase obrigatórios nesta quadra. 

Eu gosto de filmes de Natal, confesso, e preparei uma lista com algumas sugestões. Não para lembrar os que toda a gente já viu, mas antes para falar daqueles que os apreciadores do género poderão gostar e talvez tenha escapado. A exceção vai para o primeiro da lista que surgiu só agora mas como é imperdível, não resisti a comentar.

Aqui vai:

Um Rapaz Chamado Natal, no original A Boy Called Christmas, é aquele filme para toda a família, que poderá vir a tornar-se um clássico. Acabou de estrear na Netflix e tem no elenco a enorme Maggie Smith e o jovem Henry Lawfull no papel de um rapaz que procura o seu pai e, com ele, a esperança para todos. É baseado no livro com o mesmo nome. Este filme é maravilhoso e não podem mesmo perder.



Amor Com Data Marcada, no original Holidate, é um filme Netflix de 2020 que conta com Emma Roberts e  Luke Bracey nos papeis de dois jovens solteiros que não querem compromissos mas resolvem fazer um acordo para parecerem um casal nesta época de felicidade e amor. O resto podem adivinhar... Se acham que é um filme cliché, acertaram! Mas quem não gosta de uma comédia romântica de Natal para as tardes de domingo?



Uma Invenção de Natal, no original Jungle Jangle: A Christmas Journey é um musical de 2020 protagonizado por Forest Whitaker e Madalen Mills. Conta a história de um fabricante de brinquedos que, após ser traído por quem confiava, terá uma nova oportunidade de voltar a ser feliz, com a esperança trazida pela neta. É um filme inovador a vários níveis e conta com uma música original de John Legend. Tem efeitos especiais e cenários maravilhosos e é mesmo para preparar as pipocas e reunir toda a família.



Last Christmas conta com Emilia Clarke no papel de uma jovem que não gosta especialmente da quadra natalícia mas que mesmo assim a tenta viver nesta que é a sua segunda oportunidade para ser feliz. Estreou nos cinemas em 2019. É uma comédia romântica com humor e tem todos os ingredientes para agradar ao público em geral.



Quando a Neve Cai ou Let it Snow estreou na Netflix em 2019 e é baseado no livro com o mesmo nome. Isabela Merced e Shameik Moore são os protagonistas nesta comédia romântica/adolescente. Quando um forte nevão retém alguns jovens numa pequena cidade do interior em plena véspera de Natal, os sentimentos vão surgir e tomar conta da situação. Um filme fofinho para ver enrolado na manta. 



Crónicas de Natal, no original The Christmas Chronicles estreou em 2018 na Netflix e traz-nos Kurt Russell no papel do Pai Natal que após problemas com o trenó, terá que contar com a ajuda de duas crianças para assim salvarem o Natal. É um filme divertido para ver em família e teve a continuação  em 2020.



Pai Natal & Co. no original Santa &Cie é um filme francês de Natal. Divertido, na linha das mais recentes produções francesas estreadas em Portugal, conta-nos a história do Pai Natal que vai a Paris para comprar vitamina C para os 92 mil elfos ajudantes que adoeceram na época de maior trabalho na fábrica de brinquedos. Só que não é fácil ser Pai Natal e tentar comprar vitaminas para tanta gente, sem levantar suspeitas. Alain Chabat realiza e protagoniza este divertido filme de 2018 que tem ainda Audrey Tautou no elenco. 



Festa de Natal da Empresa, no original Office Christmas Party estreou em 2016 e tem como protagonistas Jennifer Aniston e T.J. Miller. Dois irmãos têm visões completamente diferentes, no que se refere à gestão da empresa que herdaram. E claro que quando surge a hipótese de fazer a festa de Natal com todos os funcionários, as divergências surgem ainda com mais força. Um filme para rir muito mas que talvez seja melhor deixar para os adultos da família verem. Se é que me faço entender...





E assim termina esta pequena lista de filmes mais recentes sobre o Natal, tem para todos os gostos e de diversos estilos. Se se recordarem de algum que viram e quiserem mencionar nos comentários, estejam à vontade.



17 de novembro de 2021

Para os nossos pincéis

E hoje faço o lançamento oficial de mais um estojo de rolinho. Parti do mesmo formato do estojo para agulhas de crochet mas estes têm a dimensão certa para colocar os pincéis todos, mesmo com diferentes espessuras. Ficam assim protegidos num estojo almofadado e podem ir para todo o lado em segurança.





E fiz logo uns quantos, que o entusiamo era muito. Mais um artigo que ficará disponível na marca. Gostaram da ideia?



12 de novembro de 2021

Glória - Netflix

Estreou a 5 de Novembro e já está a dar que falar pela sua popularidade. Glória é a primeira serie original portuguesa produzida para a Netflix, conta com a direção de Tiago Guedes e tem Miguel Nunes como protagonista, encabeçando uma lista de atores, na sua grande maioria bastante conhecidos do grande público em Portugal.
Glória é uma serie de espionagem e a ação decorre em 1968, em plena guerra fria. Na pequena localidade de Glória do Ribatejo, a CIA instala o RARET, um centro de transmissão de rádio que é também local de espionagem e onde se tomam decisões que poderão mudar o curso da paz mundial, numa época em esta se encontrava ameaçada pelo braço de ferro permanente entre o leste e o ocidente. 

Esta série partiu mesmo de um facto real, pois existiu um centro de transmissões de rádio instalado pela CIA e que visava transmitir propaganda ocidental para os países do Bloco do Leste, e a partir daí o argumentista Pedro Lopes construiu todo um enredo onde não falta paixão, ciúme e muitos tiros. A série é aconselhada para maiores de 16 anos, pois contém cenas de muita violência e até alguma nudez. 



Sinopse

João Vidal é um jovem engenheiro, filho de uma família tradicional afeta ao regime político de ditadura que então vigorava em Portugal. É contratado para trabalhar na Rádio Europa Livre mas o que ninguém sabe é que exerce funções de agente nos serviços secretos da URSS. Ele é também um jovem afetado pela guerra que viveu em África, durante o serviço militar, e sofre de traumas que se mantêm presentes na sua vida quotidiana. Na RARET é um jovem engenheiro promissor, filho de um político conhecido mas cá fora é um agente secreto que não olha a meios para atingir os fins. Debate-se entre memórias da guerra que viveu e uma frieza que lhe permite levar a cabo as missões que lhe são confiadas.

A minha opinião

Comecei a ver a série logo no dia a seguir à sua estreia e gostei tanto que em três serões consegui ver tudo. São dez episódios que nos prendem completamente ao écran, pois estão repletos de intriga, acontecimentos inesperados e muita ação. É a serie mais dispendiosa que alguma vez foi feita em Portugal e isso nota-se. Tem uma fotografia irrepreensível, é dinâmica, sem pontos mortos e recria perfeitamente o ambiente de final dos anos sessenta, podendo até despertar o interesse pela sociedade e pela política entre quem, tal como eu, não viveu essa época. 

Por isto tudo, recomendo completamente esta série. Não sei se alguém aqui já viu Glória, ou se pretende ver, mas digam-se o que pensam nos comentários, para mim é um orgulho que em Portugal se tenha feito uma serie que na sua primeira semana de exibição está a ter tanto sucesso.




 

8 de novembro de 2021

Bolo de bolacha com caramelo

A receita que trago hoje é uma criação da Rita Nascimento, do canal La Dolce Rita. As suas receitas são maravilhosas, além de ser uma pessoa que passa uma imagem incrível, cheia de energia e boa disposição. Resolvi recriar o seu bolo de bolacha com caramelo, apenas alterando as quantidades dos ingredientes, uma vez que a forma que tenho é um pouco maior que a que ela usou.

Fica um bolo de bolacha diferente, com um sabor irresistível e um aspeto absolutamente delicioso. 

Deixo aqui a receita para também fazerem aí em casa.

Bolo de Bolacha

2 pacotes de bolacha Maria

1 porção de chantilly mentiroso

1 porção de molho toffee

café bem forte

    Chantilly mentiroso

    500 ml natas

    250 g queijo creme

    100 g de açúcar

    Molho toffee (de caramelo)

    240 ml natas

    160 g açúcar

    40 g manteiga

Comecei pelo molho toffee, uma vez que ele teria que arrefecer para ser usado. Colocar o açúcar num tachinho e levar ao lume até ganhar aquele tom dourado. Com cuidado, acrescentar as natas que deverão estar à temperatura ambiente. Mexer um pouco e retirar do calor. Adicionar a manteiga e misturar tudo muito bem. Reservar.

Agora, para o chantilly mentiroso é só necessário bater, com a batedeira na velocidade máxima, as natas e o queijo creme. Vão aperceber-se que a mistura acabará por ganhar consistência ao fim de uns minutos, deve colocar-se então o açúcar e bater mais um pouco, apenas para misturar.

Depois é só fazer a montagem do bolo: num prato colocar o aro de uma forma de fundo amovível, embeber as bolachas no café frio e dispô-las harmoniosamente, colocar por cima o chantilly e um pouco de molho toffee. Só um pouco para dar sabor sem ficar enjoativo. Fazem-se camadas alternadas com estes ingredientes, sendo a última camada de chantilly. Levar ao frigorífico para ganhar consistência (costumo deixar de um dia para o outro). Depois é só retirar o aro e colocar por cima uma camada generosa de molho toffee, deixando escorrer um pouco. Por opção pode-se cobrir ainda com bolacha picada.

Bom apetite!


Obs.: Quando faço o bolo de bolacha, costumo colocar só o aro da forma sobre o prato de servir. Desta vez distraí-me e comecei a fazer a montagem do bolo mesmo dentro  da forma completa... e depois já não consegui retirar a base.



3 de novembro de 2021

Estojo de rolinho

O trabalho em costura criativa é uma área onde nunca há monotonia. E nem falta de ideias. Por norma, grande parte do meu trabalho está mais relacionado com bonecas mas também faço carteiras ou sacolas. E recentemente comecei a fazer estojos de rolinho. Já tenho uns quantos terminados para diversas funções e hoje apresento este que teve como inspiração a necessidade de guardar as agulhas de crochet de uma forma organizada e segura. Estes estojos de rolinho estão muito na moda e decidi desenhar um de início, com as medidas que considerei necessárias. Tem divisões para vários tamanhos de agulhas e pretendo fazer mais nas cores que a cliente escolher. 




 O que acharam destes estojos? Uma prendinha útil até para o Natal, não concordam?

25 de outubro de 2021

Castelo de Porto de Mós

No post de hoje falo-vos de um castelo, classificado como Monumento Nacional, com um passado muito rico em acontecimentos e com uma estrutura arquitetónica singular e original. Situado no extremo da vila de Porto de Mós - distrito de Leiria - avista-se ao longe, e lá de cima permite um olhar abrangente sobre a região. 

O castelo passou por diversas fases e foi sendo reconstruído à medida das necessidades, daí ostentar uma mistura de estilos distintos. Desempenhou um papel fundamental na conquista cristã aos mouros no sec. XII e mais tarde, já no séc. XIV viria a albergar as tropas de D. João I e de D. Nuno Álvares Pereira que travaram a Batalha de Aljubarrota (não muito longe dali), uma luta decisiva para a independência de Portugal em relação ao reino de Castela. E foram os seus netos que viriam a transformar o castelo, deixando este de ser uma estrutura de defesa militar e passando a ser um palacete residencial. 




Uma originalidade deste monumento são os seus 5 torreões. Infelizmente três deles estão semi destruídos mas os outros dois ostentam belíssimos coruchéus, ornamentados com cerâmica verde, pouco usual no nosso país.




A vista magnífica sobre a vila

Um dos característicos torreões com o coruchéu a verde

Peças em exposição

Aqui, num outro ponto de vista, as traseiras do edifício

No piso térreo do castelo existem algumas salas que são atualmente aproveitadas para exposições temporárias. Duas delas tinham exposições fotográficas e noutra encontrei esta mostra do trabalho de Natasha Faria , uma artista brasileira radicada no nosso país cujo trabalho em papier mache é digno de ser apreciado. Já fui conhecer melhor a sua arte, através das redes sociais e gostei imenso da forma como se expressa, é curioso como o artesanato pode ser encontrado onde menos se espera.


E por hoje é isto. Espero que tenham apreciado esta visita a um dos castelos mais atípicos de Portugal, nesta bela localidade que é Porto de Mós, onde apetece sempre voltar. 


Visitas ao castelo:

Coordenadas GPS: 39º 36' 12'' N | 08º 40' 08'' W 

Horários e preço dos bilhetes: Aqui


 



22 de outubro de 2021

Mil Folhas gigante

Em Portugal penso que não há ninguém que não conheça o Mil Folhas, esse célebre bolo de massa folhada que se vende em qualquer pastelaria por todo o país. Bastante doce, toda a gente já comeu, pelo menos uma vez na vida ...

Pois bem, recriei-o em tamanho gigante, não ficou perfeitinho mas estava bastante saboroso. Bom para festas, desperta aquele "uau" pois parece que ficámos de repente pequenos...



Aqui vai a receita:

Ingredientes

   2 folhas de massa folhada retangular

recheio:

   4 ovos

   3 colheres (sopa) de maizena

   150 de água

   100 de açúcar

   20 g de açúcar baunilhado

cobertura:

   300g de açúcar de pasteleiro

   3 colheres (sopa) de chocolate em pó

Levar a massa folhada ao forno pré-aquecido a 170º. Devem ficar douradas em 10 minutos, no entanto, convém vigiar pois depende sempre do forno. Deixar arrefecer numa superfície lisa enquanto se faz o recheio.

Levar a água e o açúcar ao lume para fazer uma calda muito ligeira, deixar arrefecer um pouco. Enquanto isso, batem-se os ovos com a maizena. Essa mistura deverá ser depois vertida na calda e mexida com agilidade. Vai depois ao lume, de preferência em banho-maria. Esta operação tem que ser feita com muito cuidado, mexendo sempre para não ganhar grumos. Quando estiver cozinhado, retirar do lume e bater energicamente com a batedeira na potência máxima. Isto irá tornar o creme mais fofo.

Colocar a primeira folha de massa folhada e sobre esta, o recheio de creme de ovos quase frio. Colocar a restante massa folhada. Um truque consiste em voltar para baixo esta placa para ficar com a superfície do mil folhas mais regular. Por acaso, desta vez esqueci-me de fazer isso.  

E já podemos preparar a cobertura: fazer uma pasta com o açúcar de pasteleiro e uma gotas de água. Convém ir colocando gota a gota e mexendo sempre até ter uma consistência de "betume" que se distribui uniformemente sobre o bolo. Deixar secar e preparar o chocolate. Pode utilizar mesmo chocolate instantâneo e, uma vez mais, apenas algumas gotas para deixar o chocolate humedecido mas consistente. Com a ajuda de um saco pasteleiro traçam-se uma riscas sobre a camada de açúcar e depois com a ajuda de um palito ou um cabo de colher, traçam-se umas riscas no sentido diagonal, o que vai fazer dar o aspeto "repuxado" tão característico neste bolo.

Depois é só deixar umas horas no frigorífico para ser servido bem fresquinho.

Bom apetite


Dica: Como neste caso não tinha um prato com o tamanho suficiente, abri uma caixa de cereais e forrei com o papel de estanho que se usa em culinária. Ficou óptimo para ir à mesa.


19 de outubro de 2021

Versões musicais

Muitas músicas que passam ou passaram recentemente na rádio já foram também grandes êxitos anteriormente. A verdade é que os originais têm sempre aquela força e sabor a nostalgia, mas há recriações que vão muito para além do simples cover e são abordagens musicais muito bem conseguidas.

Eis alguns exemplos:

A Little Respect

Erasure - 1988

Silence 4 - 1998

You Don't Own Me

Lesley Gore - 1963

Saygrace - 2015


The Sound of Silence

Simon &Garfunkel - 1964

Disturbed - 2015

Heart of Glass

Blondie - 1979

Miley Cyrus - 2020


Fernando

ABBA - 1975

Cher - 2018

O que pensam sobre isto? Há mais algumas que gostariam de acrescentar?


12 de outubro de 2021

Vila Nova de Milfontes

Praia, sol e calor. É isso que nos vem à memória quando pensamos em Vila Nova de Milfontes. Esta pequena povoação na foz do rio Mira, pertence ao concelho de Odemira, distrito de Beja e encontra-se inserida no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina mas nem sempre foi sinónimo de férias e dias de descanso. 

Existem indícios de ocupação que remontam à idade do ferro e dadas as características geográficas da região, com a formação de um porto natural, muitos foram os povos que ali se instalaram, inclusivamente gregos e romanos. Com a queda do império romano, mais uma vez a região assistiu à chegada de povos que sucessivamente tomavam conta do lugar. Vila Nova de Milfontes, ainda sem ter esta denominação que chegaria em 1512, pertenceu ao Reino Visigótico, a um Califado e por fim, passou a integrar o território português.


Vista geral a partir da outra margem

Vila Nova de Milfontes é hoje um local essencialmente turístico, onde muitas pessoas têm casa de férias e onde a oferta hoteleira e gastronómica é cada vez maior. Dependendo da vontade, é possível ir a banhos tanto do lado do mar, como no rio e temos aquela sensação boa de estarmos no Alentejo, com sol e campos sem fim mas também com praias maravilhosas para descontrair.

Sigam-me nesta incursão pela localidade.

Praia de Vila Nova de Milfontes

"Arcanjo" uma escultura de Aureliano de Aguiar

Jardim público

O mítico cinema Girassol um dos mais antigos do país ainda em funcionamento. É de enaltecer o esforço para apresentar bons filmes numa época em que o digital faz tanta concorrência. 


Vila Nova de Milfontes

E numa das ruas mais movimentadas, cheia de lojinhas, deparo-me com esta preciosidade. Uma decoração bem imaginativa a que não se consegue ficar indiferente.



A sua posição privilegiada e os fáceis acessos permitiram estabelecer trocas comerciais por via marítima e durante muitos anos foi necessário proceder à sua proteção, daí ainda hoje existir o Forte de S. Clemente com acesso direto ao rio.

Vila Nova de Milfontes

Vila Nova de Milfontes

Rio Mira

Rio Mira

Já que estamos aqui vale a pena percorrer cerca de 3 Km para norte para visitar o Portinho do Canal, pequeno porto de pesca rodeado de arribas de onde a vista é espetacular.
 
Vila Nova de Milfontes

Vila Nova de Milfontes

Vila Nova de Milfontes

Não é por acaso que Vila Nova de Milfontes é chamada a Princesa do Alentejo. Na verdade, nunca conheci ninguém que ficasse indiferente a esta bela localidade onde os dias são mais azuis, libertos e tranquilos. Tem o cheiro da maresia mas também o aroma dos campos do Alentejo. Tem aquela tranquilidade tão boa seja de verão ou de inverno. Tem tanto que só por lá passando podemos descobrir.

Venham daí...


8 de outubro de 2021

Tag - Irmandade das Blogueiras

E não é que fui nomeada para responder a mais uma TAG? Desta vez chama-se Irmandade das Blogueiras e como acho carinhoso da parte de quem se lembra de mim, vou então responder. O "culpado" foi o Emerson Garcia do blog Jovem Jornalista.

Regras para esta TAG

1 - Agradecer a quem te nomeou

2 - Responder às 10 perguntas propostas pelo blog que te nomeou

3 - Nomear 10 bloggers para responderem a esta TAG

4 - Criar 10 perguntas para os nomeados responderem


Vamos lá então:

1. Se você pudesse ser definido por um meme, qual seria?

    Sabem aquele meme da menina a olhar desconfiada e incrédula? Seria por aí... 

2. Se você pudesse ser definido por um emoji, qual seria?

    Aquele com óculos de sol... só observando...

3. Como você definiria o seu blog numa frase?

    Um bom lugar para fazer uma visita e descontrair um pouco.

4. Fale sobre um mico que você cometeu que foi marcante para a sua vida.

    Assim de repente não me lembro, contam as quedas que já dei na via publica e onde fico a rir de vergonha?

5. Qual foi a coisa que você printou para guardar ou mostrar a alguém que te deu mais "vergonha alheia"?

    Não me lembro mesmo de guardar prints, não faço por norma.

6. Deixar de fazer algo ou morrer fazendo?

    Eu até costumo ter noção de quando devo parar. Está respondido.

7. Qual foi a lição mais preciosa que a pandemia te deixou? Porquê?

    Que a vida imita a arte. O mundo parar e todos ficarem fechados em casa parece coisa de argumento de filme.

8. Diga sua relação com o blog "Jovem Jornalista" em uma frase.

   Um blog onde volto sempre.

9. Qual é o post preferido do seu blog? Porquê?

   Não tenho post preferido, mas posso dizer que o post mais lido de sempre continua a ser o da receita de bolo de abóbora. Vai-se lá saber por quê.

10. Cite algo que você faz que considerava difícil, mas você foi lá e fez.

     Usar a máquina de costura. Achava difícil, sentia insegurança e levou tempo até ter o à-vontade que tenho hoje.


Agora que já respondi, vamos então às perguntinhas difíceis (mentira, não são nada):

1 - Ontem ganhou um primeiro prémio (Euro milhões ou algo assim). O que está a fazer hoje?

2 - Qual é o hábito que tem e que mais gostaria de perder?

3 - "Amigo do meu amigo, meu amigo é" - Verdade ou mentira?

4 - Quando foi a última vez que fez algo que sempre disse que jamais faria?

5 - Já se arrependeu de algum gesto de bondade que teve, por perceber que a pessoa afinal não merecia?

6 - Qual a mentira piedosa que contou para não magoar alguém?

7 - O melhor amigo/amiga liga às nove da noite para convidar para aquele programinha imperdível  hoje mesmo, mas já está de pijama e pantufas. Corre para se arranjar?

8 - Apanhou a sua melhor amiga numa mentira. Confronta-a?

9 - O telefone toca, mas não vai a tempo de atender. Liga de volta ou aguarda que liguem de novo?

10 - Qual é aquela música que nunca se cansará de ouvir?


E quem irei nomear agora? Tcharan... 


Os nomeados já sabem, pensem em 10 novas perguntas e continuem a TAG. Vamos mexer com essa internet e fazer os blogs interagirem. Como digo sempre, escolho os nomeados com base na minha própria perceção, arriscando imaginar quais os que gostariam de participar nisto. Apenas!


1 de outubro de 2021

Piscina de Chocolate

Hoje é para verdadeiros amantes de chocolate. A Piscina de Chocolate é feita na forma ballerine, que já usei para fazer a tarte com morangos. Podem ver aqui. 

Esta é daquelas receitas mesmo para apreciadores, em que cada dentada é uma imersão num universo chocolateiro onde uma base de bolo de chocolate se mistura com a fluidez do creme macio e aromático, formando uma combinação de texturas completamente irresistível.

receita de sobremesa

Receita de sobremesa

Base 

2 ovos 

1 colher (sopa) de açúcar baunilhado

3 colheres (sopa) de óleo

150 g de farinha com fermento

150 g de açúcar

5 colheres(sopa) de leite

5 colheres (sopa) de chocolate em pó

 Cobertura

100 g de chocolate preto 

200 g de natas

um pouco de leite

1 colher  (sopa) de maizena

Bater os ovos com o açúcar até ficar uma espuma esbranquiçada e acrescentar todos os outros ingredientes que fazem parte desta base, misturando com a vara de arames.

Vai ao forno a 170º cerca de 20 minutos. Desenformar e deixar arrefecer.

Entretanto desfazer a maizena no leite e levar ao lume com as natas e o chocolate. Deve cozinhar em lume muito brando ou em banho-Maria. Nesta receita e contrariamente ao usual, em que uso chocolate de culinária, usei uma tablete de chocolate negro mas daquele que é mesmo para consumo direto.

Deixar arrefecer e colocar sobre o bolo. Querendo, pode enfeitar com raspa de chocolate.

Bom apetite!

25 de setembro de 2021

Beja

É uma cidade a sul de Portugal, onde o verão é mais longo e as noites mais quentes. No último post falei de um espaço de lazer recente ao largo de Beja, hoje falo-vos da cidade, capital do distrito com o mesmo nome, o único em toda a extensão do Baixo Alentejo.

Baixo Alentejo
Vista geral da cidade, a partir do castelo

Supõe-se que o povoado, enquanto aglomerado populacional  distinto, terá sido fundada em 400 A.C. por uma ramificação do povo Celta. Por ali passaram também cartagineses contudo, com a chegada dos romanos, a cidade adquiriu uma importância nunca vista até então. Designaram-na como  Pax Julia e fizeram-na crescer. Com a queda do império romano no ocidente, a sua importância  viria a perder-se um pouco, apesar de povos como os Alanos, Suevos e Visigodos tomarem sucessivamente posse da cidade até esta ser conquistada pelos árabes que viriam a mudar-lhe o nome para algo semelhante a Beja (com uma pronunciação muito própria). Os cristãos ocupariam em definitivo a cidade a partir de 1162 mas Beja demoraria ainda alguns anos para receber foral. Este chegou no ano de 1524, tornando Beja, de novo, grandiosa.

Para hoje selecionei algumas fotografias que tirei recentemente, são só algumas mas espero que agucem a vossa curiosidade. 

Começo pelas fotografias do castelo. Este tem a particularidade de ficar ao nível do casario. Muitas vezes vemos castelos no alto de montes mas neste caso não. As casas estendem-se ao redor e para termos uma vista mais folgada, o ideal será subirmos à torre de menagem do castelo. A entrada é grátis e vale bem a visita. Conseguimos ter uma perspetiva geral tanto da cidade como do castelo propriamente dito.

Alentejo

Castelo de Beja
Torre de Menagem

Alentejo

Alentejo

Alentejo

Alentejo

Alentejo

Alentejo

Alentejo

Alentejo

Terminada a visita, ainda há muito para ver. O melhor é caminhar pelas típicas ruas estreitas e partir à descoberta. Será fácil encontrar a Igreja de Santa Maria, com a característica Torre do Relógio.

Alentejo

Alentejo
Igreja e Torre do Relógio

Alentejo

Muitos mais haveria para conhecer mas não se pode fazer tudo de uma vez... resta-nos visitar o Jardim Público de Beja e descansar um pouco depois da longa caminhada porque nisto de visitar monumentos, ficamos sempre com os pés doridos de tanto subir e descer.

Alentejo

Alentejo

Espero que tenham ficado com vontade de visitar a cidade, talvez muitos já conheçam mas é sempre bom relembrar.

Para terem uma ideia mais pormenorizada acerca do tanto que há para ver na região, podem clicar aqui e irão encontrar mais sugestões de monumentos para conhecer.

Vão sem pressa, há muito para descobrir.